Donativos de empresas a causas sociais estão a crescer

09-04-2010

Um estudo sobre o papel das empresas na sociedade, elaborado pela consultora Sair da Casca (SDC) apresentado em Lisboa, mostra que entre 2007 e 2008, 35 por cento das organizações aumentaram o investimento neste tipo de causas.

Há dois anos, o valor atribuído a organizações não-governamentais e outras instituições representou cerca de 1,3 por cento do resultado antes de impostos das sociedades analisadas, atingindo um total de 65 milhões de euros (mais 38 por cento do que em 2007). Os dados foram obtidos pela análise dos relatórios de sustentabilidade de 45 empresas, acessíveis no site da BCSD Portugal, Conselho
Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável. Ao alargar o período de análise até 15 de Março de 2010, conclui-se que 51 empresas já investiram cerca de 80 milhões de euros.

Para além da causa "crianças" ser a que mais apoios recebe - a ajuda a idosos ou a pessoas com dependência é vista como menos positiva e mais complexa de comunicar - há uma tendência para centrar esses donativos em instituições que têm mais notoriedade. "Destacam-se na área cultural, a Fundação Serralves e a Fundação Casa da Música, e nas áreas sociais, a Associação Acreditar, o
BancoAlimentar  contra a Fome, a Cruz Vermelha Portuguesa, a Cais, a EPIS - Empresários para a Inclusão Social, a Fundação Gil e o Refúgio Aboim Ascensão", lê-se no estudo.

Na lista dos mais beneficiados também estão incluídas iniciativas locais, como escolas, associações recreativas ou festas populares.

[do jornal O Público]


 

Comentários

    Ainda não há comentários. Insere o teu comentário