Floresta Viva: Um dia pelo futuro do meio ambiente

30-06-2018
Dezassete crianças e jovens vestidas/os a rigor. Boné e t-shirt escolhidos cuidadosamente para a atividade. Acompanhadas/os de familiares, técnicos de projeto e representantes de várias entidades locais, aquelas/es que serão o futuro da sociedade marcaram presença numa ação de limpeza da Floresta Ripária da Ribeira de Santarém.

Integrada na atividade proposta pelo Programa Escolhas, de âmbito nacional, “Floresta Viva”, as/os participantes puseram mãos à obra para recolher o lixo depositado naquela zona fluvial. Não sem antes recordarem alguns dos princípios básicos da reciclagem e receberem instruções quanto à recolha dos resíduos, por parte das técnicas da Equipa Multidisciplinar de Ação para a Sustentabilidade da Câmara Municipal de Santarém.

A equipa central do Programa Escolhas também disse "presente" a este apelo lançado a nível nacional. Inês Barroso, vereadora da autarquia escalabitana, deu as boas-vindas a todas/os as/os participantes nesta sessão, onde a diretora do Programa Escolhas, Luísa Ferreira Malhó teve oportunidade de partilhar que “durante os próximos dias serão mais de 1.700 crianças e jovens que estarão a limpar matas e a ajudar-nos a proteger o nosso futuro”.

Com o convite feito, restou colocar mãos à obra e dar início à atividade, onde marcaram também presença o presidente da União de Freguesias da cidade de Santarém, Carlos Marçal, a presidente da LENE - Lar Evangélico Nova Esperança, IPSS, entidade promotora do projeto AGIR + - E6G, Sónia Lobato, a coordenadora do projeto, Helena Fernandes, bem como as/os restantes técnicas/os e monitoras/es do projeto. Ainda de assinalar a participação dos Bombeiros voluntários, PSP e Clube de Canoagem Scalabitano, parceiros ativos na dinamização desta atividade.

Durante a recolha de lixo, o espanto ia ficando estampado no rosto das/os pequenas/os participantes que, surpresos, afirmavam não saber que ali “existia tanto lixo espalhado”. Entre plásticos/metais, vidro, pilhas e lixo comum, o material recolhido foi, posteriormente, colocado no respetivo ecoponto. Uma mensagem ambiental que reforça junto desta geração a importância da reciclagem nas rotinas diárias.

E porque a questão ambiental esteve, desde o primeiro momento, em primeiro plano, a sessão encerrou com um breve enquadramento sobre a Floresta Ripária e uma enumeração das espécies que habitam o rio Tejo. Para casa, além de uma lição bem estudada de preservação da florestal, seguiu ainda a oferta de um livro que ensina a construir instrumentos musicais a partir de materiais reutilizados. 

Consulte as atividades da iniciativa "Floresta Viva" nesta Agenda.

Comentários

    Ainda não há comentários. Insere o teu comentário