Programa OPRE - Sucesso escolar e reforço de bolsas de estudo para estudantes ciganos

13-09-2017

Um “momento histórico para a comunidade”. É assim que Olga Mariano, presidente da Associação Letras Nómadas encara a primeira vaga de ciganos a concluir o seu percurso no Ensino Superior, com apoio e orientação do Programa Operacional de Promoção da Educação – OPRE, financiado pelo Alto Comissariado para as Migrações, I.P. através do Programa Escolhas.

A cerimónia de apresentação dos resultados da 1.ª edição do Programa OPRE - ano letivo 2016/2017, decorreu esta quarta-feira, dia 13 de setembro, no ISCTE-IUL, em presença do Ministro Adjunto, Eduardo Cabrita, da Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Catarina Marcelino, do Alto-Comissário para as Migrações, Pedro Calado, do Reitor do ISCTE-IUL, Luís Antero Reto, e da diretora do Programa Escolhas, Luísa Ferreira Malhó.

Olga Mariano e Bruno Gonçalves, respetivamente Presidente e Vice-Presidente da Associação Letras Nómadas, apresentaram os resultados do Programa, que apontam para um índice de sucesso escolar na ordem dos 71% - número que ascende aos 77%, quando consideradas apenas as mulheres ciganas que integram este programa. “Estamos num processo de rasgar mentalidades, porque o Ensino Superior é algo ainda muito distante”, salienta o vice-presidente, Bruno Gonçalves, para quem o caminho para estes “ futuros cidadãos de plenos direitos, ainda agora começou”.

Atenuar as barreiras existentes

Este Programa é uma iniciativa dirigida a estudantes que frequentam o Ensino Superior, provenientes das comunidades ciganas, que visa atenuar as barreiras existentes entre estas comunidades e o sistema de ensino formal, bem como evitar o abandono precoce deste ciclo de estudos.


Inspirado em programas congéneres em vigor na Europa de Leste, o OPRE foi desenvolvido em parceria pelo ACM (Programa Escolhas), pela Associação Letras Nómadas e pela Rede Portuguesa de Jovens para a Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens.

O Programa atribuiu, no passado ano letivo, bolsas de estudo a 25 jovens universitários/as de comunidades ciganas – 11 homens e 13 mulheres, de diversas áreas de ensino, com especial incidência na área social.

“Cumprir um sonho”

O apoio familiar surge como principal fator para o sucesso destes jovens estudantes. Maria Teresa Vieira, finalista do curso de Sociologia no ISCTE, nunca sonhou com o ingresso no Ensino Superior. Agora, vê nos encontros dinamizados pelo OPRE um caminho para tornar o processo “mais fácil do que pensava e por me fazer ver que não estou sozinha nisto”.


Priscilla Sá, finalista de Direito na Universidade Lusófona do Porto, é mais um rosto deste programa que espelha a felicidade de poder “cumprir um sonho” que já tenta alcançar “desde pequena”. A contar com o apoio de professores e do grupo demonstra esperança no futuro da literacia na comunidade cigana: “Haverá muitos mais, acredito!”.

30 Bolsas de estudo para a 2.ª edição OPRE

A renovação do programa para o ano letivo 2017/2018 está já garantida. O anúncio foi feito pelo Ministro Adjunto, Eduardo Cabrita, que garantiu o alargamento de 25 para 30 bolsas de estudo, com objetivo de “motivar mais jovens de comunidades ciganas a ter orgulho em aceder ao Ensino Superior”.       

Comentários

    Ainda não há comentários. Insere o teu comentário